A reestruturação da Amaszonas Paraguay já teve início e um dos primeiros destinos afetados será Porto Alegre. O Grupo Amaszonas se retirou da sociedade que forma a empresa (saiba mais clicando aqui), devido principalmente aos maus resultados operacionais.

Segundo o sistema de vendas da Amaszonas, a última data à venda é este domingo (24). O voo é operado três vezes por semana, às terças, quintas e domingos, desde dezembro do ano passado. A inauguração do voo foi realizada com bastante expectativa, já que a ligação direta Porto Alegre-Paraguai não era realizada regularmente há muitos anos. Além disso, a baixa densidade da aeronave – o Bombardier CRJ-200 comporta confortavelmente 50 passageiros – viabilizaria essas ligações de menor demanda.

À época, em entrevista aos jornalistas presentes, a expectativa era grande, sendo cogitados voos diários até o fim do primeiro ano de operações e até uma eventual ligação Porto Alegre-Ciudad del Este. Entretanto, a realidade foi de ocupações geralmente muito baixas; nas médias mensais disponibilizadas pela Anac, o voo nunca superou os 40% de ocupação (o que representaria uma média de 20 assentos ocupados por voo).

Desta forma, Porto Alegre ficará mais uma vez sem voos diretos ao Paraguai; restam opções com conexões pela Aerolíneas, Gol e LATAM.

O grupo Amaszonas deve retornar a Porto Alegre em outubro com ligações a Montevidéu pela Amaszonas Uruguay, operadas pelo CRJ-200. No mês seguinte, deve ter início o voo a Rivera com continuação a Montevidéu, este operado pelo turboélice Q-200.

Seguiremos acompanhando as novidades sobre o grupo Amaszonas em POA.

ATUALIZAÇÃO 25/06

O voo do domingo não foi operado. A última operação teria sido na quinta-feira 21, entretanto este voo retornou a Assunção após a decolagem devido a uma pane. Logo, o último voo regular da Amaszonas Paraguay entre Porto Alegre e ASU ocorreu na terça 19 de junho.

Foto por João Machado

41788326271_ea5f090a80_o