Como noticiamos ontem, a Copa Airlines reduzirá os voos entre Porto Alegre e seu hub na Cidade do Panamá (PTY) devido a obras na pista de POA; o voo passará de onze semanais a quatro, sendo a frequência da madrugada temporariamente paralisada. Mas qual é a real dimensão desse cancelamento? Resolvemos investigar a perda de conectividade para os gaúchos.

Como bem sabemos, a estratégia da Copa é concentrar as suas operações em seu hub, conectando as Américas com rápidas conexões na Cidade do Panamá. Assim, com apenas uma rápida parada é possível chegar de uma ponta a outra do continente. Além disso, o equipamento principal da companhia, no caso o 737, tem um número menor de assentos,  o que possibilita que destinos de menor densidade sejam viavelmente conectados, como é o caso de POA. Esta estratégia dá certo; a esmagadora maioria dos passageiros da Copa não desembarca em PTY e a margem operacional da empresa é uma das maiores de todo o continente.

Para que todo este sistema funcione e que as conexões sejam de fato rápidas, a Copa organiza os seus horários no hub nos chamados bancos de conexão, aglutinando as chegadas e partidas em uma pequena faixa de horário. Desta forma, a partir do momento que um dos horários é retirado da operação de Porto Alegre, os passageiros gaúchos perdem uma gama muito grande de destinos que contenham uma parada em PTY naquela determinada faixa de horário.

Para esta comparação, consideramos como possíveis apenas as conexões com no máximo 4 horas em solo panamenho e para países superiores ao Equador.

Com os onze voos semanais saindo de Porto Alegre, é possível chegar a 36 destinos com uma única parada de até quatro horas na Cidade do Panamá; na ida, são 299 possibilidades semanais. Na volta, são 377 opções. Sem o voo da madrugada, que será encerrado no início de agosto, esse número cai abruptamente para 18 destinos possíveis; é uma redução de 50%. Restam apenas destinos-chave na malha da companhia. Na ida, há 84 opções semanais de conexão, uma queda de 71,9%; na volta a POA, são 107 opções, uma redução de 71,6%.

Essa redução pode ser demonstrada pelos mapas abaixo, criados no site Great Circle Mapper. O da esquerda mostra as conexões atualmente, enquanto o da direita conta apenas com as conexões após a redução.

Não será mais possível chegar com conexões de menos de quatro horas aos seguintes destinos:

Aruba, Curacao, Saint Maarten (Antilhas Holandesas), Nassau (Bahamas), Montreal, Toronto (Canadá), Cartagena, San Andrés (Colômbia), Holguín, Santa Clara (Cuba), Boston (EUA), Porto Príncipe (Haiti), Montego Bay (Jamaica), Manágua (Nicarágua), David (Panamá), Punta Cana (Rep. Dominicana), Port of Spain (Trindade e Tobago) e Caracas (Venezuela).

Seguiremos acompanhando as novidades da Copa Airlines. Caso haja mais alguma alteração em suas operações para Porto Alegre, publicaremos aqui no blog. Também consultamos a companhia e a Fraport sobre o assunto, mas até o momento não obtivemos resposta.

Foto por João Machado

3bf54-dscn9982