VOO AD4123

Data: 09/12/2015
Horário previsto da decolagem: 13h35
Horário da decolagem: 14h03

Chegada prevista: 15h15
Chegada: 15h26
Voo: AD4123
Rota: VCP-POA
Tempo de voo: 1h23

Aeronave: Embraer 195
Companhia: Azul
Matrícula: PR-AXX
Assento: 25D
Capacidade: 118 passageiros em classe única
Ocupação: 108/118 (91,5%)

Nesse mês de dezembro eu viajei para CNF para encontrar uns amigos e fotografar o movimento de lá. Comprei a volta no voo AD4111 CNF-POA, sem escalas. Porém, o voo sairia antes da decolagem do A330 da Azul, que eu queria muito fotografar. Então, diretamente pelo totem da Azul, 6 horas antes do voo, eu pude adiar o meu voo sem custos. Escolhi um voo com conexão em VCP, saindo de CNF pouco depois da decolagem do A330. Eu faria o trecho AD4043 CNF-VCP, saindo às 11h20 e chegando às 12h34, e esperaria um pouco para finalmente embarcar no voo AD4123 VCP-POA, decolando às 13h35 e chegando em Porto Alegre às 15h15.
Enfim: tudo certo, despachei minhas coisas sem problemas em Belo Horizonte. Com a minha conexão, eu precisaria pegá-las apenas no meu destino final.
Mas vamos ao que interessa: o voo VCP-POA. A sala de embarque do aeroporto de Campinas, principal hub da Azul, estava bem cheia. O avião que me levaria para Porto Alegre, conforme o agente de aeroporto me disse, seria o Embraer 195 PR-AXX “Estrela Azul”, entregue novo de fábrica em novembro de 2013.
O AD4123 na realidade sai de GYN, VCP é apenas uma escala. Portanto, o tempo em solo do avião seria bem curto. Ele chegou de Goiânia com cinco minutos de atraso. Logo após o desembarque, nós fomos chamados para embarcar. A aeronave, como já é de praxe na Azul, estava impecável. Logo eu me sentei em meu assento, o 25D, e para a minha alegria, ninguém se sentaria do meu lado. Ainda assim, era dia de casa cheia: dos 118 assentos do Embraer, 108 estavam ocupados.
Assim que todos foram embarcados, as portas foram fechadas e iniciávamos o nosso pushback. Logo os motores do E-Jet foram acionados, com o seu característico som. A atenciosa equipe liderada pelo comissário Péricles Penha realizou as instruções de segurança. Após, fomos informados de que o nosso sistema de entretenimento individual exibiria propagandas, sendo que uma delas mostrava o novo interior dos Airbus A330 da Azul.
Taxiamos até a cabeceira 36. Logo os motores foram levados à potência máxima. Decolamos e, após, fizemos uma curva à esquerda.
Alguns minutos depois, foi iniciado o serviço de bordo. Era composto pelos clássicos snacks da Azul, que nesse voo eram batatas chips, goiabinha e amendoim, além das balinhas de gelatina. Já as bebidas eram suco, Coca-Cola, guaraná, água e suco. Eu pedi um de cada snack e uma latinha de Coca-Cola. Mesmo que o horário do Café da Manhã Azul tivesse terminado, perguntei se havia um café, pois eu já estava acordado há mais de 33 horas. Felizmente, havia, e, após o serviço de bordo dos outros passageiros terminar, a comissária me trouxe um bom café. Sempre ótimo pra dar uma ativada.
Enquanto o voo passava, eu fiquei alternando entre o Jornal Hoje, a GloboNews e obviamente o mapa de voo nos canais da TV ao vivo. Mas pra quem prefere ouvir música, também há a RádioAzul. Os fones não são da melhor qualidade do mundo, na verdade são bem baratos, mas fazer o quê… eu não estava na classe executiva!
E como tudo que é bom passa rápido, logo iniciávamos nossa descida. A pista em uso em POA era a 29. Pra variar, o tempo em POA era bastante instável. Na final, ao nosso lado podíamos ver a chuva que caía sobre a região metropolitana da capital dos gaúchos.
Finalmente, às 15h26 fizemos um pouso suave, mas uma freada bem firme. Logo livramos a pista e estacionamos num dos Mamuths do Terminal 2. Mas havia um pequeno problema: o Mamuth (um tipo diferente de ponte de embarque) em que estávamos simplesmente não estava funcionando! Então, precisamos desembarcar pela porta traseira, onde uma escada foi acoplada para descermos. Tudo organizado, na medida do possível. Assim eu terminei uma longa e cansativa viagem de spotting. Agora era hora de chegar em casa e hibernar…

(As fotos da viagem se encontram após as notas.)

Notas:

Reserva: 10 – comprada com pontos TudoAzul pelo site da Azul, como sempre, sem problema nenhum. O site da Azul é o melhor das quatro maiores companhias brasileiras.
Check-in: 10 – feito pelo app da Azul pra celular, e a alteração foi feita pelo totem em CNF. Já as malas foram despachadas por uma agente de aeroporto muito atenciosa em Confins. Tudo perfeito.
Embarque: 10 – como todos os embarques em VCP no terminal doméstico, feito pela posição remota. Ainda assim, muito organizado.
Assento: 10 – de couro ecológico, muito confortável. O espaço é bom.
Aeronave: 10 – como já é padrão na Azul, impecável.
Entretenimento: 8 – completo, mas faltam mais opções de rádios. Já o fone é muito ruim.
Comissários: 10 – atenciosos e amigáveis, como sempre.
Refeições: 8 – eu adoro os snacks da Azul, mas confesso que depois de tanto tempo, poderiam haver algumas outras opções que não salgadinhos e coisas do tipo.
Bebidas: 10 – as mesmas opções de sempre, mas variadas. E teve o café de bônus!
Desembarque: 9 – na medida do possível, organizado.
Pontualidade: 7 – decolagem com 28 minutos de atraso e pouso 11 minutos após o horário programado.
Média final: 9,27

Fotos por João Machado